quinta-feira, abril 12, 2007

RSI e dispensas de Ed sociais

Olá Colegas,


No âmbito do que se tem vindo a saber sobre a não renovação dos protocolos do RSI com Educadores Sociais, mais que nunca os educadores sociais têm de se unir, por isso, como representante da nossa profissao do Sindicato dos Trabalhadores da Saude Solidariedade e Segurança social, posso vos dizer que já estamos a tomar medidas, mas temos de estar todos unidos, senão nada resulta. Já existe um grupo de ed sociais ligados aos protocolos a fazerem um levantamento do que se passa para nos encontramos dia 21 deste mes para um plenario em local a confirmar brevemente, às 10 horas.

Deixo-vos aqui o correcto enquadramento profissional do Ed. Social e que ja se encontra em negociaçoes para ser aprovado no estatuto o perfil de competências do ed social, já provado em plenario, para usarem sempre que necessitarem:

O educador social é um profissional com formação superior, que actua formativamente perante indivíduos, grupos ou comunidades, crianças, jovens, adultos ou idosos e numa perspectiva de prevenção e reabilitação dos problemas sociais. Actua em tecidos sociais fragilizados.

No exercício das suas funções presta ajuda técnica com carácter educativo, social, formativo e cultural a indivíduos, grupos e comunidades, no sentido do desenvolvimento das competências e da melhoria das condições de vida dos seus destinatários. Promove, dinamiza, apoia e concretiza actividades de acordo com as seguintes competências e tarefas:

a) Trata de forma terapêutica e sócio pedagógica, pessoas frágeis, em desvantagem social e ou excluídas da vida social, tentando criar um bem-estar psicossocial no indivíduo;
b) Acompanha famílias, toxicodependentes, pessoas com deficiência, crianças em risco, idosas e todas as classes sociais desfavorecidas;
c) Fomenta a consciencialização e interiorizarão de competências pessoais e sociais, promove a educação permanente e formação contínua dos diversos indivíduos desajustados socialmente, recorrendo sempre a técnicas e metodologias pedagógicas;
d) Organiza e coordena actividades de animação sócio – cultural, sessões educativas, dinâmicas de grupo e actividades de tempos livres, através de métodos sócio – pedagógicos, junto de diversos grupos sociais, acompanhando e desenvolvendo uma melhor realidade social;
e) Promove e desenvolve competências de integração social do indivíduo valorizando a sua participação no grupo, na família e na comunidade;
f) Efectua investigação, analisa e avalia meios sociais, problemas de foro psicológico, através do levantamento das necessidades e carências sentidas, de forma a criar programas e encaminhamentos no sentido da resolução dessas mesmas problemáticas;
g) Elabora e desenvolve projectos de intervenção, programas educacionais, de cariz social, no que se refere à prevenção primária, secundária e terciária, destinada a população de risco;
h) Proporciona ao grupo alvo a aquisição de conhecimentos multiculturais, desenvolvendo atitudes, competências e valores relativos ao respeito pela diversidade cultural da sociedade;


qualquer coisa entrem em contacto comigo.

9 comentários:

Pink Dolphin disse...

Sílvia,

A "bomba" rebentou na passada quinta-feira à noite. Em Gondomar são 10 protocolos e 10 educadores sociais e já todas sabemos, com a notícia confirmada pela nossa coordenadora NLI. A ideia dela era negociar para 2 dos agentes de acção directa serem o Educador Social e o Administrativo, mas tendo em conta os 495€ por mês e em primeira categoria (tabela das IPSS) não me parece que ninguém vá aceitar.

A nossa coordenadora disse-nos para as 10 de Gondomar nos juntarmos e escrevermos ao Ministro e Secretário de Estado a demonstrar a nossa contestação.

Em Braga sei que estão a optar entre o Educador Social e entre o Psicólogo, mas muito sinceramente não me parece solução dada a pertinência de ambos os técnicos.

Já me disseram que o plenário será na Universidade Portucalense (presumo que no auditório) depois ia-lhe pedir para confirmar e para informar das horas. Deixo-lhe o meu mail para o caso de necessitar de algo e se me puder informar das novidades:
hortensebernardino@portugalmail.pt

Grata por tudo,

A Técnica Superior de Educação Social

Hortense José

Susana disse...

O facto de quererem "negociar" que fiquemos com o nivel II (9o ano)em substituicao do ajudante de accao directa é no minimo escandaloso e inadmissivel.

Os educadores sociais estao a desenvolver um trabalho notavel e nao temos de ocupar o lugar de ninguem, nem mudar a nossa categoria! Ninguem compreende esta subita mudanca de estrategia nos protocolos...
Afinal, o que eh que se passa?

Concordo que devemos fazer chegar esta nossa luta ao Ministro e Secretario de Estado. Ja eh tempo de acabar com as discriminacoes. Fala-se mto no "Roteiro para a Inclusao" (deverá ser para TODOS) mas em termos de estatuto e reconhecimento profissional, os educadores sociais deparam-se todos os dias com a diferença entre classes, refiro-me esqpecialmente ah tabela salarial aplicada nas IPSS's.

maria disse...

olá Silvia,
Eu estou num protocolo de rsi, o meu contrato é muito precario, mas no entanto, sou tratada como educadora social, na minha instituição ainda não me disseram nada, mas não devem tardar a dar a noticia..
Gostaria que alguem me dissese como é que uma jovem de 15, 16 anos será educadora social, se bem me lembro além do 9 ano andei mais 7 anos para me formar..
Nao tenho vergonha de o dizer por vezes tenho dificuldades no trabalho e por vezes os meus utentes tentam ser mais espertos que eu, agora digam-me como é que uma jovem de 15, 16 ou até mesmo 17 anos vai trabalhar com estas pessoas?
Talvez alguem,devesse dizer ao primeiro ministro que nós ao contrario dele andamos 4 anos na faculdade e, que não andamos a ser noticias no jornais e nem demorariamos 20 dias a justificar o que ficou a inda por justificar, (certificados), nem os colocamos num cofre blindadao que para o abrir é preciso autorização de alguem... ( noticiado hoje nos jornais televisivos sobre a investigação interna iniciada hoje na Independente)Pois, senhor ministro mais vergonhoso que não ter canudo é não ter dignidade!

Os EDUCADORES SOCIAIS QUEREM TRABAHAR TAL COMO O PRIMEIRO MINISTRO E A GRANDE DIFERENÇA É QUE TEMOS UMA FORMAÇÃO DE QUATRO ANOS+UM CERTIFICADO AUTENTICADO+UM DIPLOMA AUTENTICADO COM AQUILO A QUE SE CHAMA DE SELO BRANCO! e digo mais tudo pago com o dinheiro dos nossos pais e de muitos estudantes que para além de estudar tb trablhavam para pagar o curso... dinheiro esse muitas vezes contado ao centimo...

Drª Silvia é uma educadora social, está num sitio em que pode falar por todas nos, agora como sua colega peço que intervenha por todos os educadores que LUTARAM POR UMA FORMAÇÃO E POR UM TRABALHO... e que agora não tenham que descer de escalão, para poder ganhar o dinheiro, ou até mais do que isso pelo merito que tem como educadoras socais.
Tal como a susana refere, será que o programa de inclusão também se aplica a nos?
um bem aja aos educadores sociais

Ana Costa disse...

Eu estou a acabar a Licenciatura de Ed. Social e soube do que se está a passar com os protocolos dos Ed. Sociais q estão inseridos no RSI ñ estarem a ser renovados.
Mas gostava de saber mais informções acerca desta notícia.
Pois hoje falei lá na minha faculdade do sucessido e perguntaram-me de onde tinha surgido esta not´cia. Qual a sua fonte, qual o seu mandatário?
Será q me podem dar mais informações de modo, a que eu as possa mostrar lá na faculdade?
Já agora tb vos pedia a confirmação do plenário que se vai realizar. Tive a informação que será na Universidade Portucalense (auditório). Mas, contudo pedia-lhe que depois me confirmasse e para me informar das horas. Deixo o meu mail para o caso de necessitar de algo e se possível de me informar das novidades: anamendescosta@hotmail.com.

Obrigada

Ana Costa

Ângela disse...

Realmente é vergonhoso a forma como tudo isto está a ser tratado...
Eu também estou a trabalahr num protocolo de RSI e estou a ver a minha vida a andar para trás... 2 anos a dar o meu melhor, pedem-nos a nossa avaliação sobre o trabalho, exigem tudo e mais alguma coisa, para quê? Ninguém teve em conta o que nós dissemos... Agora que tudo estava a entrar nos "eixos" a equipa está estável e vai ser tudo mudado... Já muita coisa se ouviu, a IPSS onde trabalho está solidária connosco, mas não chega; Lisboa é que manda, quem está sentado a escrever as leis é que sabe...
mas não nos podemos deixar ir abaixo, temos que mostrar que estámos cá e que somos precisos...
Saudações.
Ângela

Andrea Rocha disse...

Realmente estamos a andar para trás...
Quando em 1997 entrei para o curso de Educação Social foi-me dito que este era um curso com imensas potencialidades, em crescimento e adaptado ás necessidades da sociedade, e que em poucos anos esta seria uma profissão muito importante e requisitada, em nas IPSS, ONGs e no Estado...

10 anos passados e o cenário não é nada animador, para não dizer muito desanimador...

As IPSS são realmente o grande e quase único empregador de Educadores Sociais, mas não é porque dêm valor á profissão... o verdadeiro motivo é que somos licenciados em "saldos", pois pelo preço de um técnico-profissional levam um técnico superior, que arca com todas as responsabilidades técnicas exigidas pela Seg Social, mas recebe apenas 650€ pelo seu trabalho (e isto nas Instituições que cumprem a tabela das IPSS, pois estive 5 anos numa que me pagava muito abaixo, pois diziam que não podiammesmo pagar mais, e 3 anos sem ser aumentada, pelo mesmo motivo).

No Estado, os poucos concursos que abrem são para pessoas que muitas vezes já lá estão a exercer, mas que uma boa cunha conseguiu a abertura da vaga, pois todos os concursos que tive conhecimento, foi-me dito que era escusado concorrer pois o lugar estava já atribuído...

Agora mais este balde de água fria, retirar os Educadores Sociais dos protocolos rsi sem qualquer motivo ou justificação.

Trabalhei durante muitos anos num ATL que encerrou no início de 2007 devido ao facto das escolas terem actividades extracurriculares até ás 17h30. Estava efectiva na instituição, mas isso de nada valeu pois esta IPSS que sempre viveu com "muitas dificuldades", pereceu com esta mudança no contexto escolar. Outras colegas que trabalham também em ATL já ficaram desempregadas ou estão em risco de vir a ficar... Agora as colegas que trabalhavam nos protocolos vêm para o desemprego...

10 anos depois o panorama da nossa profissão não evoluiu como parecia que iria evoluir... De facto parece até que tudo está ainda mais difícil e, apear de ser uma pessoa muito optimista estou com muitas dificuldades em continuar a ter esperanças nesta profissão que adoro.
Acredito que devemos ser pró-activos, que devemos lutar para melhorarmos a nossa vida (sempre transmiti essa mensagem ás populações com quem trabalhei) mas com notícias destas fico mesmo desanimada...

Há alguma que se possa fazer?
Digam qualquer coisa, porque detesto sentir que as coisas estão mal e nada se pode fazer...

andrearocha17@gmail.com

Alice Pinto disse...

ola a todos os educadores sociais.
eu tembém sou educadora social e pf digam - me onde encontar esse despacho pois só lendo para acreditar... estou desempregada e ja trabalhei nas equipas RSI e sai porque nao me quiseram passar aos quadros da istituiçao, nunca se ouviu tal absurdo. o ministro pensa que la por não ser engenheiro os outros que se formaram, deixam de o "ser". contem comigo, nem que tenhamos de fazer uma manifestaçao na sua residencia...

isabel disse...

Caras Colegas,
já não bastava recebermos menos ainda vamos para o desemprego.
Eu e as equipas de Protocolos de RSI do concelho em que trabalho ficamos em estado de choque ao receber esta notícia.
Posso a informar que pelo que me apercebi não existe alteração ao decreto de lei de Janeiro que orienta que a intervenção dos Protocolos deve ser realizada por uma equipa multidisciplinar. No entanto, já existe uma interpretação ao decreto a indicar as alterações na constituição das equipas, onde o educador social e administrativo não constam. Também indica o novo enquadramento do financiamento. Sabem que as equipas vão ser mais financiadas com o aumento do numero de famílias acompanhadas! Que irónico. A ideia era cessar processos, recuperar dinheiro ao Estado. Não manter processos e criar dependências.
Cada dia que passa fico mais baralhada e inconformada com a situação.
Tudo isto é perverso! A única coisa que me passa pela cabeça é que estas ideias só podem ter sido criadas por pessoas que não têm a mínima percepção do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido. Para além de estarmos a colaborar nos interesses económicos do Estado estamos a conseguir mudanças nas famílias através de estratégias criativas com sentido pedagógico. Conseguiu-se de facto dar uma imagem mais positiva à medida de RSI e no entanto, querem destabilizar e desestruturar a equipa.
Que mais valia podem ter 2/3 técnicos de acção directa ou ajudantes familiares. Para quê? Com que supervisão e formação técnica?
Os nossos Protocolos só terminam em Agosto. Ainda não foi realizada nenhuma avaliação qualitativa do nosso trabalho. Eu pergunto-me? Basearam-se em quê para verificar que estavam a ser ou não cumpridos os objectivos.
No dialogo com outros técnicos ligados à Segurança Social de forma indirecta ou directa tenho verificado que está a surgir muita polémica acerca deste assunto. Isto de facto não é uma luta nossa mas sim uma luta das nossas equipas e uma luta de todos os técnicos na área social.
Eu estarei lá no plenário a realizar no próximo sábado. Irei acompanhada alguns elementos das equipas do nosso concelho e outros colegas da área social que foram avisados do que se esta a passar.
Temos que fazer tudo o que esteja ao nosso alcance para alterar esta situação que parece irreal.
Cumprimentos a todos os colegas e um beijinho especial a Sílvia que esta a despoletar junto com outras colegas todo este movimento, com os votos de muito sucesso
Isabel Lessa

Vera disse...

sou aj. de lar 1º á quase 10 anos numa ipss segundo sei esta categoria mudou de nome neste momento mudaram -nos os horarios fazia tardes e noites agora faço tambem manhas neste turno da manha inclui as limpezas ao lar gostaria de saber se este tipo de serviço faz parte das minhas funções quanto aj. de lar .se me puder ajudar , agradeço . pode responder para velu.med@gmail.com